Cozinhar como ferramenta terapêutica para idosos durante a quarentena

segunda-feira, 6 de abril de 2020 11:15:11 America/Sao_Paulo

Os idosos em sua grande maioria são ativos, pois estão constantemente em contato com algo ou com alguém e são pessoas que necessitam de atenção e um cuidado maior, portanto, ficar em casa é uma tarefa difícil e angustiante para eles. Segundo a pesquisa realizada pela MC15 Consultoria, 49% dos idosos tem a preocupação de se tornar um peso para a família. Dados do IBGE de 2015 apontam que 17,3% das pessoas que possuem idade acima de 60 anos, apresentam certas limitações para realizar tarefas diárias e que na maioria das vezes, a família não está preparada para lidar e cuidar com pessoas dessa idade.

cozinhando digital eletro

No momento atual, o mundo se encontra em um intenso isolamento social afim de reduzir o contágio do novo Corona Vírus, é um momento difícil para todos, mas, principalmente, para os idosos. E a cozinha, ou melhor, a arte de cozinhar pode ser utilizado como uma ferramenta terapêutica para a terceira idade, além dos seus inúmeros benefícios. E durante essa quarentena, é esperado que eles se sintam ainda mais reclusos, portanto, eles precisam de alguma ocupação durante esse período e sempre alguém os estimulando.

Para o desenvolvimento desta matéria, contamos com a ajuda da psicóloga clínica, Amanda Previatti, que já trabalha com esse público há alguns anos. Ela explica a importância desse tempo com o idoso e fala que os principais benefícios, além da interação familiar que é reforçada, auxilia no desenvolvimento do seu sistema cognitivo, sistema sensorial e sistema motor.

Reforça na interação familiar, pois é um momento em que o idoso pode mostrar o seu valor preparando receitas que ele sabe fazer ou algo que lembre algum período de sua história. E essa atividade de lazer que pode ser proporcionada entre família, além de contribuir positivamente com o aspecto afetivo, contribui com os sistemas cognitivo, sensorial e motor, onde todos eles são trabalhados de maneira saudável sem que cause exaustão ou que exceda os limites dele.

A psicóloga afirma, ainda, que se durante esse período não haver um processo de estímulo de atividades, eles tendem a ficar ainda mais reclusos desenvolvendo uma somatização de sentimentos como, por exemplo, solidão e tristeza.

jovem cozinhando digital eletro

É importante destacar que, nesse momento de interação, é necessário que o idoso tenha participação simples e segura e nada que possa vir a comprometer sua saúde. A sua importância pode ser desenvolvida a partir de atividades como a identificação dos ingredientes para a receita, separação dos materiais (é indicado produtos não pesados, não cortantes e que tenha uma pegada confortável, pensando na condição especial e frágil do idoso), execução da receita, preparação da mesa para o lanche e, por fim, a degustação do bolo ou da receita preparada por eles.

Por fim, além de tudo o que foi apresentado acima, a dica final é: DIVIRTA-SE! Esse momento é totalmente do idoso e daqueles que passarão o período de quarentena com ele e tudo o que foi abordado só será bem sucedido e se tornará prazeroso a partir do momento que for visto como algo divertido, além de saudável.

Compartilhe:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+
Categorias: